Author Archives: simario

  • 0

Papa pede acolhimento ao migrante e o refugiado

Dia Mundial do Migrante e do Refugiado 2018

Da Redação, com Boletim da Santa Sé 

Papa em visita a um campo de refugiados na Grécia, em abril de 2016 / Foto: Arquivo – Reprodução CTV

“Acolher, proteger, promover e integrar os migrantes e os refugiados”. Este é o pedido do Papa Francisco em sua mensagem para o Dia Mundial do Migrante e Refugiado 2018, que será celebrado em 14 de janeiro. O texto foi publicado nesta segunda-feira, 21, pela Sala de Imprensa da Santa Sé.

Nesses quatro primeiros anos de pontificado, por várias vezes Francisco manifestou sua tristeza e preocupação pela situação de migrantes e refugiados que fogem de guerras, perseguições, desastres naturais e pobreza. Sua visita à Lampedusa em julho de 2013 foi um marco de sua proximidade a essa situação, além da criação do órgão vaticano para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, que expressa também a atenção da Igreja com as essas pessoas. Ele também visitou um campo de refugiados na Grécia em sua visita à Ilha de Lesbos em abril de 2016.

Francisco enfatiza na mensagem a necessidade de ajudar aqueles que foram forçados a deixar sua própria pátria, desde a partida e travessia até a chegada e o regresso. Trata-se de uma responsabilidade que a Igreja quer partilhar com todos os homens e mulheres de boa vontade, chamados a responder com generosidade ao desafio do fenômeno migratório.

Para dar essa resposta concreta, o Papa indica quatro atitudes: acolher, proteger, promover e integrar. No processo de acolhimento, Francisco fala de alguns esforços necessários, como a simplificação da concessão de vistos humanitários, a abertura de “corredores humanitários” para os refugiados mais vulneráveis, vistos temporários especiais em países vizinhos para pessoas que escapam de conflitos e um primeiro alojamento adequado e decente.

A proteção dos migrantes e refugiados envolve, segundo Francisco, uma série de ações em defesa dos seus direitos e dignidade, independente da situação migratória. Esse é um processo que começa no país de origem e deve continuar, na medida do possível, na terra de imigração, assegurando aos migrantes a assistência necessária.

Já quando pede a “promoção” dos migrantes e refugiados, o Papa quer o empenho para que eles tenham condições de se realizar como pessoas em todas as dimensões que compõem a humanidade desejada por Deus. Por fim, Francisco fala da necessidade de integração.

“Insisto mais uma vez na necessidade de favorecer em todos os sentidos a cultura do encontro, multiplicando as oportunidades de intercâmbio cultural, documentando e difundindo as ‘boas práticas’ de integração e desenvolvendo programas tendentes a preparar as comunidades locais para os processos de integração”.

Papa Francisco assegura a disponibilidade da Igreja em se comprometer na realização de todas essas iniciativas, mas frisa que é indispensável a contribuição da comunidade política e da sociedade civil, cada qual segundo as próprias responsabilidades.

Um processo já iniciado citado pelo Papa é a redação e aprovação de dois acordos globais, um sobre refugiados e outro sobre migrantes. Durante a Conferência da ONU realizada em Nova Iorque em 19 de setembro de 2016, os Estados se comprometeram a fazê-lo até o final de 2018.

A mensagem divulgada hoje é datada de 15 de agosto, Solenidade da Assunção de Maria. Francisco destaca que Maria experimentou pessoalmente a dureza do exílio; ele confia à sua intercessão materna as esperanças de todos os migrantes e refugiados. “Que todos, no cumprimento do supremo mandamento divino, aprendamos a amar o outro, o estrangeiro, como a nós mesmos”, conclui o Papa.

Categoria : notícias


  • 0

Primeiro Círculo de Formação Política em Brasília

Primeiro  Círculo de Formação Política será sobre os desafios do mundo do trabalho no século XXI e a Doutrina Social da Igreja

Da Redação, com Arquidiocese de Brasília

As inscrições para o primeiro Círculo de Formação Política da Arquidiocese de Brasília estão abertas. O primeiro encontro será no próximo dia 31 e terá a presença do presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra Martins Filho.

As inscrições são feitas pelo site npf.arquidiocesedebrasilia.org.br . O evento será na Faculdade de Teologia da Arquidiocese (914 Sul) a partir das 19h30. Os 100 primeiros inscritos participarão presencialmente do evento. Também haverá transmissão ao vivo pelas redes sociais da Arquidiocese de Brasília e do Núcleo Política e Formação.

O tema desse primeiro círculo será “Desafios do mundo do trabalho no século XXI e a Doutrina Social da Igreja”. Gandra aprofundará aspectos da nova lei trabalhista, aprovada em julho.

Círculos de Formação sobre Política e Fé

Os círculos de formação são promovidos pelo Núcleo Política e Formação (NPF). Criado no fim de 2016 a pedido do Cardeal Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o núcleo surgiu de uma necessidade explicitada no Plano Pastoral 2016-2019 da Arquidiocese: aprofundar a formação sobre fé e política.

Em parceria com a Faculdade de Teologia, serão realizados mais três círculos de formação política até o fim deste ano: Água e bioma do cerrado (21/09), O poder político – Câmara Legislativa e suas funções (26/10), Política e Cristianismo (29/11).

Sobre o palestrante

Ives Gandra da Silva Martins Filho é bacharel em Direito pela Universidade de São Paulo (1981), mestre em Direito pela Universidade de Brasília (1991) e doutor em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2014). É ministro do Tribunal Superior do Trabalho desde 14 de outubro de 1999. Foi Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho no período de 5 de março de 2013 a 26 de fevereiro de 2014. É membro da Academia Nacional de Direito do Trabalho e da Academia Paulista de Magistrados.

Faça sua inscrição: http://npf.arquidiocesedebrasilia.org.br/2017/08/14/primeiro-circulo-de-formacao-politica-faca-sua-inscricao/#

Fonte: arquidiocesedebrasilia.org.br

 

Categoria : informações


  • 0

Não se afaste de Deus!

Independente de nossos pecados, não nos afastemos de Deus!

A Palavra meditada está em I Samuel 12,20-25:
Samuel disse então ao povo: “Não tenhais medo! É verdade que cometestes um grande erro. Somente não vos afasteis do Senhor, mas servi-o de todo o coração. E não vos desvieis para entregar-vos a ídolos de nada, sem utilidade e incapazes de salvar, pois nada são. Certamente, o Senhor não se esquecerá do seu povo, em consideração a seu grande nome, pois o Senhor decidiu fazer de vós o seu povo. Quanto a mim, longe de mim que eu venha a pecar contra o Senhor deixando de orar por vós e de vos mostrar o caminho bom e reto. Temei somente ao Senhor e servi-o na verdade e de todo o coração, pois vistes as coisas grandiosas que realizou entre vós. Mas se perseverardes no mal, vós e o vosso rei perecereis”.

O pecado nos afasta de Deus, e à medida que ficamos longe d’Ele, o medo se apodera do nosso coração. Nossa ofensa ao Senhor foi grande? Não nos afastemos d’Ele, porque pecamos, mas, pelo contrário, coloquemo-nos a servi-lo de todo o coração.

Gênesis nos conta a história de Adão e Eva para compreendermos uma grande verdade, homem e mulher pecaram por sua escolha, e por vergonha de seu pecado se esconderam de Deus.

Servir ao Senhor de todo o coração

O maior erro que podemos ter nesta vida é fugirmos do Senhor. Não sabe viver quem não sabe rezar. Reza-se como se vive e vive-se como se reza. É pela oração que voltamos para Deus.

Vive mal quem tem o coração ruim. Não sabe viver quem não sabe rezar. Como é bom vermos mudança nas pessoas! Mas sem a oração a pessoa se deixa guiar pela vaidade, a qual não serve para nada.

A palavra vaidade significa vazio, e sem oração somos guiados pelo vazio. Coloquemos Deus no centro de nossa vida, para que não vivamos tristes ou sozinhos. Sem a oração não conseguimos dar boas coisas. O maligno é um estrategista e nos ataca por todos os lados.

Que posamos orar por aqueles que amamos. A oração é o momento que pedimos para Deus aquilo que nos falta. O Senhor é fiel e não permite que sejamos tentados acima de nossas forças. A tentação vem para nos desanimar.

Deus fará com que tenhamos tudo a nosso favor para suportar e vencer. A vontade de desistir está grande? Aguentemos firmes, pois somos do Senhor e Ele não se esquece de nós nem nos esquecerá.

Persevere em Deus

Com Deus podemos tudo, mas precisamos cooperar com Ele. Se Ele nos aponta um caminho e vamos para outro, de nada adianta declararmos que podemos tudo n’Aquele que nos fortalece, pois não estamos caminhando em Sua vontade. Se não nos unirmos a Deus, nossa vida se afundará.

Quem reza não é pego de surpresa pelo mal ou pelo inimigo. Escolher o mal é querer a derrota, o fracasso e a destruição. Perseverar no mal não se trata de cair no mal por descuido, mas sim por insistência de querer estar fazendo o mal.

O coração de pedra nos puxa para baixo. O que nos salvará do erro é não nos afastarmos do Senhor, pois Ele não se esquece de nós.

Márcio Mendes membro da Canção Nova

Categoria : formações


  • 0

Por que devemos confessar?

Em Tiago 5, 16, Deus, por meio da Bíblia, nos diz: “Confessai mutuamente vossos pecados”. Veja que as Escrituras não dizem “confesse seus pecados diretamente com Deus e só com Deus”; a Bíblia nos pede para confessarmos nossos pecados com o outro.

Em Mateus 9, 6, Jesus nos diz que lhe foi dada autoridade na terra para perdoar os pecados. E a Bíblia continua dizendo-nos, no versículo 8, que esta autoridade foi dada aos “homens”, no plural.

Em João 20, 21-23, qual é a primeira coisa que Jesus diz aos seus discípulos reunidos na noite da sua ressurreição? “Como o Pai me enviou, eu vos envio”. E como o Pai enviou Jesus? Bem, em Mateus 9, vimos que o Pai enviou Jesus com autoridade na terra para perdoar pecados.

A Penitência é um sacramento que nos auxilia na caminhada nesta estrada difícil rumo ao céu.

Jesus veio ao nosso mundo para tirar o pecado; como disse São João Batista, “Ele é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (Jo 1, 29).

O Filho de Deus não veio a este mundo para outra finalidade, senão esta. E para isso pregou o Evangelho da Salvação, instalou o Reino de Deus entre nós, instituiu a Igreja para levar a cabo esta missão de arrancar o pecado da humanidade, e morreu na Cruz, para com sua morte e ressurreição nos justificar diante da Justiça divina.

Com o preço infinito de Sua Vida, Ele pagou o nosso resgate, reparou a ofensa infinita que nossos pecados fazem contra a infinita Majestade de Deus. E deixou com a Sua Igreja a incumbência de levar o perdão a todos os que crerem no Seu Nome. É por meio da Confissão (= Penitência, Reconciliação) que a Igreja cumpre a vontade de Jesus de levar o perdão e a paz aos filhos de Deus.

A declaração dos pecados ao sacerdote constitui uma parte essencial do sacramento da penitência: “Os penitentes devem, na confissão, enumerar todos os pecados mortais de que têm consciência depois de examinar-se seriamente, mesmo que esses pecados sejam muito secretos e tenham sido cometidos somente contra os dois últimos preceitos do decálogo, pois, às vezes, esses pecados ferem gravemente a alma e são mais prejudiciais do que os outros que foram cometidos à vista e conhecimento de todos” (CIC, 1456).

Quando os católicos confessam seus pecados a um padre, estão simplesmente seguindo o plano estabelecido por Jesus Cristo. Ele perdoa os pecados através de um sacerdote: é o poder de Deus, mas Ele leva a cabo esse poder mediante o ministério do padre.

Veja os horários de confissão em nossa paróquia no link abaixo: http://imaculadaconceicaodf.com.br/missa-e-confissoes/

Fonte: Cleofas e Canção Nova

Categoria : reflexões


  • 0

Primeira Caminhada Mariana de Sobradinho

As paroquias Imaculada Conceição e Rosário de Fátima promoveram juntas a 1º Caminhada Mariana de Sobradinho DF

Centenas de fiéis participaram na manhã do último sábado (17) da Caminhada Mariana. Organizada pelo Movimento Famílias com Maria com apoio dos párocos Manolo e Júlio , a 1ª edição da programação reuniu cerca de 500 pessoas, contando com o percurso que saiu de frente a paróquia Imaculada Conceição (Quadra 13) até a paróquia Rosário de Fátima (Quadra 8).

A peregrinação foi iniciada às 7h do sábado, no estacionamento da paróquia Imaculada, em Sobradinho na quadra 13, e saiu em direção a quadra 8 passando pela quadra Central. Vários comerciantes e curiosos observavam o fiéis que seguiam rezando o terço e louvando ao Senhor cantando. Os diversos seguidores fizeram uma parada no balão próximo ao Hospital Regional de Sobradinho, onde houve uma benção aos enfermos e aos parentes das pessoas hospitalizadas.

Durante todo o trajeto, os peregrinos contaram com um carros de som, ambulância do bombeiros, batedores da polícia militar e carros de apoio. Além disso, para manter a hidratação, os fiéis receberam água ao longo do trajeto.

Em clima de oração e penitência, ao som de musicas marianas, os peregrinos desciam em direção a paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima.

Nem mesmo o frio e o vento forte foi obstáculo para os fiéis chegarem, entusiasmados, à paróquia, de onde a menos de 500 metros houve o encontro das duas imagens, Nossa Senhora da Imaculada Conceição e Nossa Senhora de Fátima, que acolheram os fies e receberam as bençãos, a frente do cortejo estava a Imagem de Nossa Senhora da Imaculada Conceição seguida dos coroinhas e acólitos, seguido dos Padres, diáconos e os fieis das paroquias de Sobradinho.

As duas imagens foram carregadas pelos devotos, em especial pelo movimento terço dos homens, que fizeram o percurso já próximo a paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima, em seguida os fies puderam participar da Santa Missa com muita devoção a Nossa Senhora representada pelas duas imagens que foram colocadas ao lado do altar.

 

Caminhada Mariana 17/06/2017

Flickr Album Gallery Powered By: Weblizar

Categoria : notícias


Cadastre o seu email