Exorcismo. Saiba o que é ?

  • 0

Exorcismo vem de uma palavra grega EXORKIZEIN que significa conjurar.

O Exorcismo é um sacramental. Em geral ele é realizado dentro de uma celebração litúrgica, onde sua essência é a conjuração ao Demônio, isso é, o ato de ORDENAR ao Demônio que se retire do corpo da pessoa possuída em Nome de Jesus, e pela “autoridade espiritual” da Igreja.

Voltaram alegres os setenta e dois, dizendo: Senhor, até os Demônios se nos submetem em Teu Nome!” (Lc 10,17)

Exorcismo é dogma de fé que o demônio existe e pode agir sobre o ser humano. O Catecismo da Igreja diz que: “Por trás da opção de desobediência de nossos primeiros pais há uma voz sedutora que se opõe a Deus e que, por inveja, os faz cair na morte. A Escritura e a Tradição da Igreja veem neste ser um anjo destronado, chamado Satanás ou Diabo. A Igreja ensina que ele tinha sido anteriormente um anjo bom, criado por Deus… mas se tornaram maus por sua própria iniciativa.” (§391). O Diabo é “pecador desde o princípio” (1Jo 3,8), “pai da mentira” (Jo 8,44). Jesus o chama de “homicida desde o princípio” (Jo 8,44). “Para isto é que o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo” (1Jo 3,9), disse São João.

A Igreja ensina que o demônio pode possuir uma pessoa, assumir o comando de suas faculdades; e para isso tem o Rito do Exorcismo para expulsá-lo. Jesus realizou muitos exorcismos: “Se é pelo Espírito de Deus que eu expulso os demônios, então o Reino de Deus já chegou a vós” (Mt 12,28). É de Jesus que a Igreja recebeu o poder e o encargo de exorcizar.

Quando a Igreja exige publicamente e com autoridade, em nome de Jesus Cristo, que uma pessoa ou objeto sejam protegidos contra a influência do maligno e subtraídos a seu domínio, fala-se de exorcismo.

O que diz o catecismo da Igreja sobre Exorcismo?

Como defender-se do demônio

Sob uma forma simples, o exorcismo é praticado durante a celebração do Batismo. Visto que o Batismo significa a libertação do pecado e de seu instigador, o Diabo, pronuncia-se um exorcismo sobre o candidato. Este é ungido com o óleo dos catecúmenos ou então o celebrante impõe-lhe a mão, e o candidato renuncia explicitamente a satanás.

O exorcismo solene, chamado “grande exorcismo “só pode ser praticado por um sacerdote, com a permissão do Bispo. Nele é necessário proceder com prudência, observando estritamente as regras estabelecidas pela Igreja. É importante, pois, assegurar-se, antes de celebrar o exorcismo, se se trata de uma presença do maligno ou de uma doença mental.

A Congregação da Fé do Vaticano, em 24.09.1985, deu uma Instrução sobre o Exorcismo, onde lembra o seguinte:

1. O cânon 1172 do Código de Direito Canônico declara que a ninguém é lícito proferir exorcismo sobre pessoas possessas, a não ser que o Ordinário do lugar tenha concedido peculiar e explícita licença para tanto (1º). Determina também que esta licença só pode ser concedida pelo Ordinário do lugar a um presbítero dotado de piedade, sabedoria, prudência e integridade de vida.

2. Não é lícito aos fiéis cristãos utilizar a fórmula de exorcismo contra Satanás e os anjos apóstatas, contida no Rito que foi publicado por ordem do Sumo Pontífice Leão XIII; muito menos lhes é lícito aplicar o texto inteiro deste exorcismo

A possessão

Quando ocorre, a possessão deve ser tratada de forma confidencial, dentro de uma sala e com familiares. Pela intensidade, a pessoa pode se bater, se machucar e sair com hematomas. Durante o ritual, padre e intercessores são munidos de texto bíblico, orações espontâneas, crucifixos, terços e água benta. Geralmente, explica o padre Vanilson, o espírito do mal toma o corpo de quem trabalha com rituais satânicos.

“Lidamos diariamente com casos de opressão, que é quando o mal atormenta a pessoa. Ele não está necessariamente nela, mas a influencia”, esclarece o pároco, que admite ter sido tentado pelo demônio: “Todos somos”. Com ele, como relata, a tentação costuma ocorrer à noite com perturbação na hora de dormir, sonhos pavorosos, pesadelos, sensação de arrepio e de algo ou alguém o seguindo.

Possessão demoníaca, no entanto, é rara. Há três anos à frente do papel no Distrito Federal, padre Vanilson lembra de apenas dois casos comprovados. “Em um, fomos bem-sucedidos. O outro está em processo. Funciona como na Medicina: Quanto mais cedo se descobre, mais fácil é a libertação”, explica.

A mulher libertada sofreu por mais de 30 anos. Tinha muita força, olhos virados e voz alterada. Ela saía de si quando começavam a rezar e só retomava a consciência horas mais tarde, machucada, sem lembrar de nada. A libertação ocorreu em um único dia.

Pe. Vanilson, único religioso católico de Brasília autorizado pelo Papa Francisco a expulsar demônios.

(Visited 12 times, 2 visits today)

Categoria : informações


Cadastre o seu email