Amigo verdadeiro

  • 0

Amigo verdadeiro

Amigo verdadeiro é aquele que te leva para próximo de Deus.

Eclesiástico 6,5-17;

5.Uma boa palavra multiplica os amigos e apazigua os inimigos; a linguagem elegante do homem virtuoso é uma opulência.
6.Dá-te bem com muitos, mas escolhe para conselheiro um entre mil.
7.Se adquirires um amigo, adquire-o na provação, não confies nele tão depressa.
8.Pois há amigos em certas horas que deixarão de o ser no dia da aflição.
9.Há amigo que se torna inimigo, e há amigo que desvendará ódios, querelas e disputas;
10.há amigo que só o é para a mesa, e que deixará de o ser no dia da desgraça.
11.Se teu amigo for constante, ele te será como um igual, e agirá livremente com os de tua casa.
12.Se se rebaixa em tua presença e se retrai diante de ti, terás aí, na união dos corações, uma excelente amizade.
13.Separa-te daqueles que são teus inimigos, e fica de sobreaviso diante de teus amigos.
14.Um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou, descobriu um tesouro.
15.Nada é comparável a um amigo fiel, o ouro e a prata não merecem ser postos em paralelo com a sinceridade de sua fé.
16.Um amigo fiel é um remédio de vida e imortalidade; quem teme ao Senhor, achará esse amigo.
17.Quem teme ao Senhor terá também uma excelente amizade, pois seu amigo lhe será semelhante.

amigo_verdadeiroGostaria de começar com uma frase de São João Paulo II, que diz: “Não tenhais medo, queridos jovens, dos relacionamentos humanos, do acolher a vida do outro e do construir laços duradouros. É Cristo mesmo que nos ama através dos nossos verdadeiros amigos”.

O verdadeiro amigo é aquele que nem está sempre conosco, fisicamente do nosso lado , mas está principalmente nos momentos de necessidade. Por isso que está escrito para o adquirirmos na provação. Porque é nela que percebemos quem está verdadeiramente conosco.

A amizade é uma relação afetiva que envolve o conhecimento mútuo e afeição além da lealdade.

E somos convidados a sermos esse amigo que a bíblia nos cita. Precisamos estar sempre com os nossos amigos, principalmente nos momentos em que eles estão desanimados, tristes, em momento difícil. Pois só assim demonstraremos o nosso amor por eles. E quem ama o seu amigo, ama o Senhor.

Uma das palavras mais doces que se conhece é precisamente a palavra amigo. Nós, cristãos, gostamos de nos chamar de irmãos. O Eclesiástico, no trecho hoje proclamado, tece considerações a respeito da amizade. Destaquemos algumas de suas observações:

● Multiplicamos amigos quando usamos de palavra amena, doce, carinhosa. Uma língua afável multiplica as saudações. Fazemos relacionamento. Tecemos laços, mas nem sempre sólidos de verdade. As amizades precisam ser trabalhadas e alimentadas.

● Passamos perto de muitos. Convivemos com colegas de trabalho, com membros de nossa família, com vizinhos. “Sejam numerosos os que te saúdam, mas teus conselheiros um entre mil”. Os íntimos não podem ser numerosos. Há um tempo de maturação da amizade. Aliás, a verdadeira amizade nasce da provação, lembra o Eclesiástico.

● “Se queres adquirir um amigo, adquire-o na provação; e não te apresses em confiar nele”.

● A experiência nos diz que há amizades interesseiras. Há pessoas que dizem nos estimar enquanto somos úteis para sua ascensão. Quando perdem o interesse egoísta, esquecem que diziam tanto nos amar. Há pessoas que se dizem amigas mas que abandonam o amigo na hora da aflição.

● Há amigos que mudam de opinião. Servem de confidências para destruir a boa fama daquele ao qual faziam declarações de amizade. Pensamos na figura de Judas. “Há amigo que é companheiro de mesa e que não persevera no dia da necessidade”.

● O Livro do Eclesiástico faz uma observação dura: “Afasta-te dos teus inimigos e toma cuidado com os teus amigos”.

● Pensamos nas amizades espirituais, dentro e fora da Igreja, companheiros de caminhada no seguimento de Cristo que partilham a vida, que leem juntos as páginas dos Evangelho, que juntos vão pelo mundo dizendo que o amor precisa ser amado. Amigos-irmãos ou irmãos-amigos? Talvez muito mais irmãos da mesma aventura da fé. Para tanto, eles precisam comer juntos o pão da convivência fraterna, carregar juntos a cruz, rir as mesma alegrias sob o olhar do Senhor.

● Os versículos que agora transcrevemos constituem talvez as palavras mais belas da Escritura a respeito da amizade. O autor sagrado defende a fidelidade do e ao amigo: “Ao amigo fiel não há nada que se compare, é um bem inestimável. Um amigo fiel é um bálsamo de vida; os que temem o Senhor vão encontrá-lo”.

● Há amizades que duram a vida toda. Elas começam nos bancos da escola, nas brincadeiras entre vizinhos, nas oficinas de uma fábrica. Os que se estimam se revelam, contam um com o outro, levam o fardo do amigo, provam seu bem querer na usura do tempo, comem juntos e juntos escutam a voz do Senhor.

● O verdadeiro amigo é um preciosíssimo tesouro.

Louve ao Senhor por ter esse tesouro: Amigo.

Categoria : artigos


  • 0

Eu preciso do Espírito Santo em minha vida?

A Palavra meditada está em São João 14,25-27:
“Eu vos tenho dito estas coisas enquanto estou convosco. Mas o Defensor, o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos tenho dito. Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não é à maneira do mundo que eu a dou. Não se perturbe, nem se atemorize o vosso coração.”

Sem o Espírito Santo nada podemos fazer, porque Ele é a promessa do Pai para nós. Adentremos para as águas mais profundas, a fim de que, assim, possamos entrar na intimidade do Pai.

O Espírito Santo é o Consolador, o Vivificador, o Paráclito, o Intercessor, o Amigo, Aquele que, enviado pelo Pai, revela-nos a verdade de Cristo.

É Ele quem recorda em nossa vida todo o ensinamento de Jesus Cristo. Além de nos recordar esses ensinamentos, o Espírito Santo faz progredir os dons em nossa vida. Não O busquemos somente no extraordinário, mas em todos os momentos. Ao acordarmos, louvemos ao Senhor e clamemos o Espírito Santo, para que Ele nos conduza.

Quando ainda crianças, fomos levados à pia batismal; ali, em nome de Jesus, fomos batizados. Agora batizados, temos de dar espaço para o Espírito Santo agir em nossa vida.

Por que necessitamos do Espírito Santo?

Só Ele pode nos dar um novo nascimento

Recordemo-nos de Nicodemos. Quando Jesus lhe diz: “É preciso nascer de novo. Nascer da água e do Espírito Santo” (cf. Jo 3,3), isso é um convite para nós. Somente com a ajuda do Paráclito nascemos de novo. Se Ele não tomasse todo o espaço de nossa vida, onde estaríamos? Abramos o coração e não tenhamos medo de clamar essa verdade: “Eu preciso do Espírito Santo!”.

Ele muda nosso coração

“Transformarei o coração de pedra em um coração de carne” (cf. Eze 36). O mover do Espírito Santo em nossa vida transforma o coração endurecido em um coração humano, que se compadece do outro.

Revestir do poder do alto

O Pai nos reveste do poder do Alto e direciona-nos a melhorarmos nossas escolhas. Se deixarmos o Espírito Santo tomar espaço em nossa vida, erraremos menos em nossas escolhas.

Testemunhas de Cristo

Só pela força e pelo poder do Espírito Santo, que age em nós, conseguiremos testemunhar o amor de Jesus Cristo.

Quantos são os mártires que, movidos pelo Espírito Santo, testemunharam Cristo! Sejamos também testemunhas d’Ele.

Para sermos livres

O Espírito Santo nos dá liberdade, mas não a que o mundo prega. O Espírito de Deus nos faz livres para caminharmos em Jesus Cristo. Essa deve ser a liberdade que desejamos e aspiramos.

Quatro atitudes para expressarmos nossa necessidade do Espírito Santo

Sede de Deus: Peçamos ao Pai que aumente essa sede em nós!

Abertura: A abertura que o Senhor deseja é que tenhamos, em nossa vida, parte do perdão.

Pedir: O Senhor respeita nossa liberdade, por isso não violenta nosso coração. Ele espera que peçamos o Paráclito. É impossível clamarmos o Espírito e não O recebermos.

Gratuito: Não precisamos dar nada em troca; apenas abrir o coração e pedir.

A paz vem de Cristo

Essa Palavra continua nos falando: “Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Jesus nos dá sua paz!”. O batismo no Espírito Santo desabrocha em nós os frutos do Espírito e nos ensina a agir como Jesus agiu.

O mundo ainda não encontrou a paz. No dia em que os filhos de Deus tomarem posse do Espírito Santo, reconhecendo que Jesus é o Príncipe da Paz, as guerras e indiferenças vão acabar.

Haverá paz quando Jesus Cristo reinar nos corações. Se buscarmos Jesus, caminharemos na paz e a promoveremos.

Antonieta Sales
Missionária da Comunidade Canção Nova

Categoria : formações


Cadastre o seu email