Jesus escolhe o mais pecador dos apóstolos

  • 0

Jesus escolhe o mais pecador dos apóstolos

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco celebrou nesta manhã de sexta-feira a Santa Missa na Capela da Casa Santa Marta. Em sua homilia, o Papa comentou o Evangelho do dia (Jo 21,15-19), em que Jesus ressuscitado conversa com Pedro à margem do lago, onde o apóstolo tinha sido chamado. É um diálogo tranquilo, sereno, entre amigos, enfatiza Francisco, na atmosfera da Ressurreição do Senhor. Jesus confia o seu rebanho a Pedro, fazendo-lhe três perguntas, perguntando se ele o ama:

“Jesus escolhe o mais pecador dos apóstolos, os outros fugiram, este renegou Ele: ‘Não o conheço’. E Jesus lhe pergunta: ‘Mas você me ama mais do que estes?’. Jesus escolhe o mais pecador”.

E foi escolhido, portanto, “o mais pecador” para “apascentar o povo de Deus. Isto nos faz pensar”, observa Francisco. Jesus pede a Pedro para apascentar o seu rebanho com amor:

“Não apascentar com a cabeça para cima, como o grande dominador, não: apascentar com humildade, com amor, como Jesus fez. Esta é a missão que Jesus dá a Pedro. Sim, com os pecados, com os erros. Tanto é assim que, logo após esse diálogo, Pedro faz um deslize, um erro, é tentado pela curiosidade e disse ao Senhor: “Mas este outro apóstolo para onde vai, o que fará?”. Mas com amor, no meio de seus erros, e seus pecados … com amor: ‘Porque essas ovelhas não são as suas ovelhas, são as minhas ovelhas’, diz o Senhor. “Ame-as. Se você é meu amigo, você tem que ser amigos delas’”.

O Papa recorda quando Pedro nega Jesus diante da serva do sumo sacerdote: está seguro em negar o Senhor como estava seguro quando tinha confessado: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Recorda o olhar de Jesus que cruza com o de Pedro, que acabara de lhe renegar. E o apóstolo, “corajoso ao renegar, é capaz de chorar amargamente”:

“E então, depois de toda uma vida servindo ao Senhor acabou como o Senhor: na cruz. Mas não se vangloria: ‘Termino como meu Senhor!’. Não, pede ele: ‘Por favor, me coloquem na cruz com a cabeça para baixo, para que pelo menos vejam que não sou o Senhor, sou o servo’. Isto é o que nós podemos tirar deste diálogo, deste diálogo tão bonito, tão sereno, tão amigável, tão pudico. Que o Senhor nos dê sempre a graça de caminhar pela vida com a cabeça para baixo: com a cabeça alta para a dignidade que Deus nos dá, mas com a cabeça para baixo, sabendo que somos pecadores e que o único Senhor é Jesus, nós somos servos”.(SP)

(from Vatican Radio)

Categoria : notícias


  • 0

Coração de Jesus fonte de misericórdia

O coração de Jesus é uma fonte inesgotável de misericórdia para nossas vidas.

Meditemos na palavra de Deus que se encontra em Mateus 18, 21 a 35:

Então Pedro se aproximou dele e disse: Senhor, quantas vezes devo perdoar a meu irmão, quando ele pecar contra mim? Até sete vezes? Respondeu Jesus: Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. Por isso, o Reino dos céus é comparado a um rei que quis ajustar contas com seus servos. Quando começou a ajustá-las, trouxeram-lhe um que lhe devia dez mil talentos. Como ele não tinha com que pagar, seu senhor ordenou que fosse vendido, ele, sua mulher, seus filhos e todos os seus bens para pagar a dívida. Este servo, então, prostrou-se por terra diante dele e suplicava-lhe: Dá-me um prazo, e eu te pagarei tudo! Cheio de compaixão, o senhor o deixou ir embora e perdoou-lhe a dívida. Apenas saiu dali, encontrou um de seus companheiros de serviço que lhe devia cem denários. Agarrou-o na garganta e quase o estrangulou, dizendo: Paga o que me deves! O outro caiu-lhe aos pés e pediu-lhe: Dá-me um prazo e eu te pagarei! Mas, sem nada querer ouvir, este homem o fez lançar na prisão, até que tivesse pago sua dívida. Vendo isto, os outros servos, profundamente tristes, vieram contar a seu senhor o que se tinha passado. Então o senhor o chamou e lhe disse: Servo mau, eu te perdoei toda a dívida porque me suplicaste. Não devias também tu compadecer-te de teu companheiro de serviço, como eu tive piedade de ti? E o senhor, encolerizado, entregou-o aos algozes, até que pagasse toda a sua dívida. Assim vos tratará meu Pai celeste, se cada um de vós não perdoar a seu irmão, de todo seu coração.

O texto começa falando sobre a necessidade de perdoar setenta vezes sete, aqui a discussão não é meramente numérica, mas sobre a profundidade do perdão. Sete no contexto bíblico é simbolo de perfeição, vejam que há vários exemplos em que o numero sete é usado para falar a respeito da perfeição da obra de Deus.

Quando diz-se setenta vezes sete, o que se diz é que devemos ter misericórdia no mesmo grau da misericórdia que Deus tem para conosco. Assim é o coração de Jesus, ele conhece a nossa pequenez e as nossas limitações.

Jesus a razão

Viktor Frankl teve uma grande experiência de vida, tendo vivido num campo de concentração, sendo referência hoje para a psicologia. Ele diz: Quem tem um ‘porquê’ enfrenta qualquer ‘como’. Ou seja, se você tem uma razão não há problemas que não possamos ser superados, e o nosso porquê é o coração de Jesus.

Quando olhamos para o coração de Jesus, olhamos para Jesus por inteiro como nosso salvador, a potência de um amor incansável! Quando a boca de Jesus não mais pregou, seu coração pregou, derramando sangue e água para remissão dos nossos pecados.

Quando olhamos para o coração de Jesus, olhamos para o coração do Pai! O coração de Jesus é um coração que pulsa por nós. É um coração que esta sempre pulsando por mim e por você.

Algumas das parábolas inseridas nos evangelhos são chamadas “parábolas da misericórdia”. Nestas Deus revela que ele não se sente satisfeito enquanto não limpa o ser humano do pecado, ele não desiste de nós. A misericórdia de Deus é capaz de pegar nossos pecados, lançar no mar do esquecimento e deixar uma plaquinha onde está escrito “proibido pescar”.

Ele não desiste de você

A aparabola das cem ovelhas pode nos levar a crer que Jesus não era muito hábil com contas, afinal um homem tinha cem ovelhas e apenas uma se desgarrou, no entanto o pastor deixou noventa e nove e foi atrás desta uma. Vejamos, a maioria de nós não faria este esforço, afinal o prejuízo era mínimo. Mas o pastor além de ir atrás desta única ovelha, também festejou ao encontra-lá! Ele não deu lições de moral na ovelha, nem a espancou, mas festejou!

Já na parábola da dracma perdida fala-nos de uma pessoa que perdeu uma moeda dentro de casa. E as casas naquela época não tinham luz elétrica, logo era difícil encontrar a tal moeda. Esta pessoa ao encontrar a moeda não só se alegra mas faz festa com os vizinhos! Provavelmente isto tenha lhe custado mais do que o valor da moeda, mas havia ali um valor muito maior do que o material em si.

Nestas parábolas expressa-se a misericórdia de Deus, por que pela lógica humana não temos valor, mas para Deus sim! Ele não desiste de nós e há festa no céu quando a misericórdia se manifesta na terra.

O coração de Jesus é tamanho exemplo de  misericórdia, que Ele diz: “aprendei de mim que sou manso e humilde de coração”. Interessante que nas revelações a respeito do Sagrado Coração de Jesus ele sempre se apresenta como no calvário, vertendo misericórdia para os homens! Esse é um coração incansável e ele esta aberto para mim e para você!

São João Paulo II era tão devoto a misericórdia de Deus, acreditava tanto na importância da sua ação na vida do homem, que se confessava todos os dias.

A misericórdia é capaz de inundar com amor e curar com o perdão. A misericórdia não é apenas o agir do pai, é o critério para conhecer que é filho de Deus. Quem se julga filho de Deus pai precisa ser um homem de misericórdia!  A falta de perdão é um veneno, veneno que é ingerido pelo ofendido achando que esta matando o ofensor, mas na verdade esta matando a si mesmo.

Hoje quero convidar você a deixar a misericórdia de Deus te ajudar a lidar com as questões pessoais. Deixe a misericórdia de Deus ser a sua referência para o seu agir. Pergunte-se: onde você estaria se Deus te tratasse como você trata a quem te ofende? Ai de mim e de você se fosse assim, mas o coração de Deus transborda em misericórdia.

O coração de Jesus não guardou rancor, mas perdoou aqueles que o crucificaram. Vamos rezar para que Jesus nos ajude a ter um coração como ele! Um coração que pulse de amor incansável e misericórdia. Vamos rezar para que ele transforme os nossos corações e nos transforme em agentes da misericórdia.

Fonte: Canção Nova

Categoria : artigos


Cadastre o seu email