Quem é o Espírito Santo ? Como ele atua na minha vida ?

  • 0

Quem é o Espírito Santo ? Como ele atua na minha vida ?

Poucos dias antes da Festa de Pentecostes, o Papa dedicou a homilia da Missa na Casa Santa Marta ao Espírito Santo e explicou como atua em cada pessoa se de verdade lhe recebe.

O Papa comentou as leituras da liturgia do dia e disse que muitos dizem que “aprenderam no catecismo que o Espírito Santo está na Trindade e não sabem mais nada além disso”.

“O Espírito Santo é aquele que move a Igreja. É aquele que trabalha na Igreja, em nossos corações. Ele faz de cada cristão uma pessoa diferente da outra e de todos juntos faz a unidade.

“É aquele – continuou – que leva adiante, escancara as portas e convida a testemunhar Jesus”.

Francisco disse ainda: “É aquele que está em nós e nos ensina a olhar para o Pai e dizer-lhe: Pai. Ele nos liberta da condição de órfão para a qual o espírito do mundo quer nos conduzir”.

“O Espírito Santo é o protagonista da Igreja viva. É aquele que trabalha na Igreja”, frisou ainda Francisco. “Porém, há um perigo quando não vivemos isso, quando não estamos à altura dessa missão do Espírito Santo, a fé corre o risco de se reduzir a uma moral ou uma ética”.

Por isso, “não devemos nos deter em cumprir os mandamentos e nada mais. Isso pode ser feito, isso não; até aqui sim, até lá não! Dali se chega à casuística e a uma moral fria”.

O Papa advertiu então que o cristianismo “não é uma ética: é um encontro com Jesus Cristo”. E é o Espírito Santo “que leva a este encontro com Jesus Cristo”, acrescentou.

“Mas nós, em nossas vidas, temos em nossos corações o Espírito Santo como um ‘prisioneiro de luxo’: não deixamos que nos impulsione, não deixamos que nos movimente. Ele faz tudo, sabe tudo, sabe nos lembrar o que Jesus disse, sabe nos explicar as coisas de Jesus”.

E “somente uma coisa o Espírito Santo não sabe fazer: ‘cristãos de salão’. Ele não sabe fazer ‘cristãos virtuais’. Ele faz cristãos reais, Ele assume a vida real como ela é, com a profecia de ler os sinais dos tempos e assim nos levar avante”, advertiu o Pontífice.

“É o maior prisioneiro do nosso coração. Nós dizemos: é a terceira Pessoa da Trindade e acabamos ali”, denunciou.

Na homilia, assegurou que esta semana “será de reflexão sobre o que o Espírito Santo faz em ‘nossa” vida e perguntar-se se ele ‘nos’ ensinou o caminho da liberdade”.

O Espírito Santo, que habita em mim, “pede-me para sair: tenho medo? Como é a minha coragem, que o Espírito Santo me dá para sair de mim mesmo, para dar testemunho de Jesus?”. Inclusive: “Como está a minha paciência nas provações? Porque o Espírito Santo também dá a paciência”.

“Nesta semana de preparação para a Festa de Pentecostes pensemos: ‘Realmente acredito no Espírito Santo ou é para mim apenas uma palavra?’. E procuremos falar com Ele e dizer: ‘Eu sei que estás no meu coração, que estás no coração da Igreja, que levas adiante a Igreja, que fazes a unidade entre nós… falarmos todas essas coisas e pedir a graça de aprender, mas praticamente na minha vida, o que Ele faz. É a graça da docilidade para com Ele: ser dócil ao Espírito Santo”, concluiu.

Leitura comentada pelo Papa:

Primeira Leitura (At 19,1-8)

Enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo atravessou as regiões montanhosas e chegou a Éfeso. Aí encontrou alguns discípulos e perguntou-lhes: “Vós recebestes o Espírito Santo quando abraçastes a fé? ” Eles responderam: “Nem sequer ouvimos dizer que existe o Espírito Santo! ”

Então Paulo perguntou: “Que batismo vós recebestes? ” Eles responderam: “O batismo de João”. Paulo disse-lhes: “João administrava um batismo de conversão, dizendo ao povo que acreditasse naquele que viria depois dele, isto é, em Jesus”. Tendo ouvido isso, eles foram batizados no nome do Senhor Jesus.

Paulo impôs-lhes as mãos e sobre eles desceu o Espírito Santo. Começaram então a falar em línguas e a profetizar. Ao todo, eram uns doze homens. Paulo foi então à sinagoga e, durante três meses, falava com toda convicção, discutindo e procurando convencer os ouvintes sobre o reino de Deus.

Fonte: ACI Digital

Categoria : formações


  • 0

Papa disse tua vida é morma sem o Espírito Santo

papafranciscoO Papa Francisco disse: deixa o Espírito Santo entrar na própria vida e para isso sugeriu se perguntar hoje, em algum momento do dia: “Eu ignoro o Espírito Santo? A minha vida é uma vida pela metade, morna, que entristece o Espírito Santo e não deixa em mim a força de ir avante? ”.

Conforme assinala Rádio Vaticano, o Pontífice também questionou se, pelo contrário, “a minha vida é uma oração contínua para abrir-se ao Espírito Santo, para que Ele me leve avante com a alegria do Evangelho e me faça entender a doutrina de Jesus, a verdadeira doutrina”.

Em sua homilia, o Bispo de Roma recordou: “O Espirito Santo é o grande dom do Pai”. “É a força que faz a Igreja sair com coragem para chegar aos confins da terra”. Neste sentido, assinalou que o Espirito Santo impulsiona a Igreja a seguir caminhando para frente.

O Santo Padre indicou três comportamentos que se pode ter com o Espírito. O primeiro é a reprovação que São Paulo faz aos Gálatas: “o crer de serem justificados pela Lei e não por Jesus que dá sentido à Lei: ‘Ó insensatos gálatas! Quem vos fascinou para não obedecerdes à verdade, a vós, perante os olhos de quem Jesus Cristo foi evidenciado, crucificado, entre vós?’”.

“Este apego à Lei faz ignorar o Espírito Santo. Não deixa que a força da redenção de Cristo se sobressaia com o Espírito Santo. Ignora. Existe somente a Lei. É verdade que existem os Mandamentos e nós devemos seguir os Mandamentos, mas sempre pela graça deste grande dom que o Pai nos deu, seu Filho, dom do Espírito Santo”.

Deste modo explicou: “Assim, se entende a Lei, e não reduzir o Espírito e o Filho à Lei. Este era o problema daquela gente: ignoravam o Espírito Santo e não sabiam ir adiante. Eram fechados, fechados nas prescrições: se deve fazer isso, se deve fazer aquilo. Às vezes, pode nos acontecer de cair na mesma tentação”.

A segunda atitude, segundo o Papa, é entristecer o Espírito Santo, o que acontece “quando as pessoas não deixam que Ele as inspire, as leve avante na vida cristã”, quando “não deixamos que Ele as diga, não com a teologia da Lei, mas com a liberdade do Espírito, o que devem fazer”.

A consequência desta atitude é que “nos tornamos mornos, caímos na mediocridade cristã, porque o Espírito Santo não pode fazer a grande obra em nós”, explicou o Pontífice.

Em seguida, o Papa apontou que a terceira atitude “é abrir-se ao Espírito Santo e deixar que seja Ele a levar adiante. É o que fizeram os Apóstolos: a coragem do dia de Pentecostes. Perderam o medo e se abriram ao Espírito Santo”.

O Santo Padre explicou que “para acolher as palavras de Jesus é necessário abrir-se à força do Espírito Santo. E quando um homem, uma mulher se abre ao Espírito Santo é como um barco à vela que se deixa levar pelo vento e vai avante e não para mais”.

Categoria : notícias


  • 0

Uma vida movida pela fé e conduzida pelo Espírito

Uma vida movida pela fé e conduzida pelo Espírito é uma vida que dá frutos

Temos de nos preparar para viver de forma santa, para utilizar os dons e carismas que o Espírito Santo nos dá.

O Evangelho de São João 15,16-17, diz: “Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda. O que vos mando é que vos ameis uns aos outros.”

amoraFomos escolhidos por Deus para viver em diversas áreas, como ser pai, ser mãe, ser sacerdote. No começo, os frutos podem não ser tão exigentes, mas, ainda assim, temos de produzir frutos como uma árvore os produz. Uma laranjeira produz laranjas, mas temos de descobrir que tipo de árvores somos, para produzir os frutos certos. Nós somos um tipo de árvore que tem livre acesso ao Pai. Assim, tudo o que pedirmos Ele nos dará. Também somos um tipo de fruto que tem como mandamento o amor.

Deus nos escolheu primeiro e, a partir dessa escolha, temos de produzir frutos. 

Sendo assim, constituídos pelo Senhor, temos que produzir frutos de amor; e quem olhar para nós precisa ver Jesus. Quem tem contato conosco precisa ter contato com uma pessoa de Deus. Somos convidados a ser assim por termos acesso ao Pai, e por termos acesso, temos de transmitir Deus. E sendo de Deus, temos de seguir esse mandamento do amor.

Temos produzido frutos de amor ou simplesmente aparentamos produzi-los, mas no seu interior não há nada? Quando temos nosso contato com Deus, as pessoas querem nos abrir e esperam que tenhamos amor, mas não temos nada.

Temos como condição para conduzir bons frutos uma vida movida pela fé e conduzida pelo Espírito. Não é qualquer fé, mas aquela de expectativa, que é dom do Espírito Santo. A fé de expectativa é o tipo que ninguém acredita, mas, por termos uma confiança em Deus tão grande, acreditamos no que Ele já fez e não pelo que Ele vai fazer.

A fé daquele que confia em Deus não se perde. Mesmo que as coisas não mudem de repente, nós estamos mudados e temos disposição e garra nova para lutar nas situações.
Talvez não aconteça a mudança agora, mas temos de viver como quem já recebeu a graça. De repente, estaremos vivendo como se estivéssemos no céu. O que não podemos fazer é derrubar as palavras de bênção e de fé, trocando-as por palavras de desânimo, porque aí nos transformaremos em uma árvore morta.

Muito mais do que fazermos nossos atos, é importante deixarmos um espaço para que, livremente, o Espírito Santo faça algo em nós. Temos de Lhe dar liberdade, porque ele é quem faz os atos verdadeiros. Senão, serão apenas atos humanos, que não durarão.

O fundador da Canção Nova, monsenhor Jonas Abib, diz que o dom mais simples do Espírito Santo é o de línguas, e Deus é o único que pode entendê-lo. Quando damos liberdade para o Espírito Santo falar em nós, pedimos as coisas certas para Deus. Quando pedimos com nossas palavras, às vezes pedimos mal. E para pedirmos o Espírito Santo é simples, é só pedir: “Vem!”.

Não tenha medo de que as pessoas não vão entender, o que elas vão pensar. Tenha medo das pessoas abrirem você e não ter nada, ser algo vazio ou estragado. Ore sem medo, apenas queira rezar.

Fonte: Canção Nova

Categoria : formações


  • 0

Eu preciso do Espírito Santo em minha vida?

A Palavra meditada está em São João 14,25-27:
“Eu vos tenho dito estas coisas enquanto estou convosco. Mas o Defensor, o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos tenho dito. Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não é à maneira do mundo que eu a dou. Não se perturbe, nem se atemorize o vosso coração.”

Sem o Espírito Santo nada podemos fazer, porque Ele é a promessa do Pai para nós. Adentremos para as águas mais profundas, a fim de que, assim, possamos entrar na intimidade do Pai.

O Espírito Santo é o Consolador, o Vivificador, o Paráclito, o Intercessor, o Amigo, Aquele que, enviado pelo Pai, revela-nos a verdade de Cristo.

É Ele quem recorda em nossa vida todo o ensinamento de Jesus Cristo. Além de nos recordar esses ensinamentos, o Espírito Santo faz progredir os dons em nossa vida. Não O busquemos somente no extraordinário, mas em todos os momentos. Ao acordarmos, louvemos ao Senhor e clamemos o Espírito Santo, para que Ele nos conduza.

Quando ainda crianças, fomos levados à pia batismal; ali, em nome de Jesus, fomos batizados. Agora batizados, temos de dar espaço para o Espírito Santo agir em nossa vida.

Por que necessitamos do Espírito Santo?

Só Ele pode nos dar um novo nascimento

Recordemo-nos de Nicodemos. Quando Jesus lhe diz: “É preciso nascer de novo. Nascer da água e do Espírito Santo” (cf. Jo 3,3), isso é um convite para nós. Somente com a ajuda do Paráclito nascemos de novo. Se Ele não tomasse todo o espaço de nossa vida, onde estaríamos? Abramos o coração e não tenhamos medo de clamar essa verdade: “Eu preciso do Espírito Santo!”.

Ele muda nosso coração

“Transformarei o coração de pedra em um coração de carne” (cf. Eze 36). O mover do Espírito Santo em nossa vida transforma o coração endurecido em um coração humano, que se compadece do outro.

Revestir do poder do alto

O Pai nos reveste do poder do Alto e direciona-nos a melhorarmos nossas escolhas. Se deixarmos o Espírito Santo tomar espaço em nossa vida, erraremos menos em nossas escolhas.

Testemunhas de Cristo

Só pela força e pelo poder do Espírito Santo, que age em nós, conseguiremos testemunhar o amor de Jesus Cristo.

Quantos são os mártires que, movidos pelo Espírito Santo, testemunharam Cristo! Sejamos também testemunhas d’Ele.

Para sermos livres

O Espírito Santo nos dá liberdade, mas não a que o mundo prega. O Espírito de Deus nos faz livres para caminharmos em Jesus Cristo. Essa deve ser a liberdade que desejamos e aspiramos.

Quatro atitudes para expressarmos nossa necessidade do Espírito Santo

Sede de Deus: Peçamos ao Pai que aumente essa sede em nós!

Abertura: A abertura que o Senhor deseja é que tenhamos, em nossa vida, parte do perdão.

Pedir: O Senhor respeita nossa liberdade, por isso não violenta nosso coração. Ele espera que peçamos o Paráclito. É impossível clamarmos o Espírito e não O recebermos.

Gratuito: Não precisamos dar nada em troca; apenas abrir o coração e pedir.

A paz vem de Cristo

Essa Palavra continua nos falando: “Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Jesus nos dá sua paz!”. O batismo no Espírito Santo desabrocha em nós os frutos do Espírito e nos ensina a agir como Jesus agiu.

O mundo ainda não encontrou a paz. No dia em que os filhos de Deus tomarem posse do Espírito Santo, reconhecendo que Jesus é o Príncipe da Paz, as guerras e indiferenças vão acabar.

Haverá paz quando Jesus Cristo reinar nos corações. Se buscarmos Jesus, caminharemos na paz e a promoveremos.

Antonieta Sales
Missionária da Comunidade Canção Nova

Categoria : formações


  • 0

Quem é o Espírito Santo e como atua na minha vida?

Papa durante a Missa na Casa Santa Marta

Papa durante a Missa na Casa Santa Marta

– Poucos dias antes da Festa de Pentecostes, o Papa dedicou a homilia da Missa na Casa Santa Marta ao Espírito Santo e explicou como atua em cada pessoa se de verdade lhe recebe.

O Papa comentou as leituras da liturgia do dia e disse que muitos dizem que “aprenderam no catecismo que o Espírito Santo está na Trindade e não sabem mais nada além disso”.

“O Espírito Santo é aquele que move a Igreja. É aquele que trabalha na Igreja, em nossos corações. Ele faz de cada cristão uma pessoa diferente da outra e de todos juntos faz a unidade.

“É aquele – continuou – que leva adiante, escancara as portas e convida a testemunhar Jesus”.

Francisco disse ainda: “É aquele que está em nós e nos ensina a olhar para o Pai e dizer-lhe: Pai. Ele nos liberta da condição de órfão para a qual o espírito do mundo quer nos conduzir”.

“Read More”

Categoria : notícias


Cadastre o seu email