Ser profeta e não perder a esperança

  • 0

Ser profeta e não perder a esperança

Precisamos assumir a nossa missão de profetizar em nome de Jesus, de trazer vida onde está a morte

Vamos partilhar a Palavra de Ezequiel 37,1-10, para nos dizer que precisamos ser profetas da Palavra de Deus e de seus milagres, viver sem perder a esperança.

A mão do Senhor desceu sobre mim. Ele me arrebatou em espírito e me colocou no meio de uma planície, que estava coberta de ossos. Ele fez-me circular em todos os sentidos no meio desses ossos numerosos que jaziam na superfície. Vi que estavam inteiramente secos. Disse-me o Senhor: filho do homem, poderiam esses ossos retornar à vida? Senhor Javé, respondi, só vós o sabeis. Ele disse-me então: Profere um oráculo sobre esses ossos. Ossos dessecados, dir-lhes-ás tu, escutai a palavra do Senhor: Eis o que vos declara o Senhor Javé: vou fazer reentrar em vós o sopro da vida para vos fazer reviver. Porei em vós músculos, farei vir carne sobre vós, cobrir-vos-ei de pele; depois farei entrar em vós o sopro da vida, a fim de que revivais. E sabereis assim que eu sou o Senhor. Profetizei, pois, assim como tinha recebido ordem. No momento em que comecei, um barulho se fez ouvir, em seguida um ruído ensurdecedor, enquanto os ossos se vinham unir aos outros. Prestando atenção, vi que se formavam sobre eles músculos, que nascia neles carne e que uma pele os recobria. Todavia, não tinham espírito. Profetiza ao espírito, disse-me o Senhor, profetiza, filho do homem, e dirige-te ao espírito: eis o que diz o Senhor Javé: vem, espírito, dos quatro cantos do céu, sopra sobre esses mortos para que revivam. Proferi o oráculo que ele me havia ditado, e daí a pouco o espírito penetrou neles. Retornando à vida, eles se levantaram sobre seus pés: um grande, um imenso exército.”

Nós estamos diante do profeta Ezequiel, um homem que foi dócil àquilo que hoje mais precisamos viver na nossa Igreja, que é sermos verdadeiros profetas. Precisamos ter coragem de profetizar na vida dos nossos irmãos e na nossa.

Na frente de Ezequiel tinha apenas ossos, não tinha vida, aparentemente esta visão é assustadora, ossos e silêncio, ali a morte era predominante e não havia esperança. Mas o profeta é convidado a andar em meio a esses ossos para comprovar que ali não tinha vida, somente ossos ressequidos. Esta visão é aplicada ao povo de Israel que estavam como cadáveres, porque era um povo que tinha vivido no exílio e precisava ser ressuscitado. O profeta precisava mostrar ao povo que a esperança não tinha morrido.

O problema da nossa humanidade é a falta de esperança, as pessoas a estão perdendo e perdendo a esperança se perde a fé e a alegria. Não estamos dizendo para vivermos só a glória, porque problemas sempre o teremos, mas precisamos ter esperança. Não perca a esperança e eu profetizo na sua vida, a partir de hoje uma vida nova e cheia de esperança.

O profeta foi fiel e dócil a Palavra de Deus e nós também precisamos ser dóceis, termos coragem de profetizar sobre as nossas casas. Então se na sua casa existe pessoas ressequidas, profetize Palavras de benção sobre esta pessoa, chega de palavras de maldição.

No combate que vivemos, o inimigo quer fazer-nos viver a covardia, o respeito humano, mas hoje, nesse tempo precisamos profetizar a verdade e recomeçar, não contemplando o passado, mas viver a esperança hoje. O grande problema é que muitas vezes estamos sentados e precisamos ir a luta, não podemos querer as coisas prontas.

Para que aqueles ossos ressuscitassem, foi preciso que profeta profetizasse sobre eles. Os seus problemas não vão acabar, mas basta que você peça o Espírito Santo e viva de verdade da fé, seja católico praticante e fervoroso.

Nós precisamos viver um profetismo fervoroso sim, não sem dificuldades. É mentiroso aquele que lhe oferecer um catolicismo sem sofrimento. Precisamos ser de Deus, profetizando, sendo dóceis a escuta da vontade do Senhor. Os barulhos e situações tem tentado calar a nossa voz.

Precisamos entrar em combate, e a nossa luta não é contra homens de carne, mas espiritual. E porque somos um povo que está se preparando para a segunda vinda do Senhor, então precisamos nos perguntar: Como estou vivendo a minha vida?

A nossa vida é uma passagem, uma páscoa, problemas sempre teremos, mas não significa que não teremos alegria, mas a nossa alegria definitiva está no céu. Para chegar lá é preciso enfrentar o bom combate. Chega de ficarmos calados.

Nós precisamos recomeçar, precisamos de vida nova, mas isso só vai acontecer se assumirmos Jesus Cristo 100%, porque os mornos serão vomitados. Precisamos ser quentes no Espírito Santo, e mesmo que os problemas vierem bater à nossa porta, vamos olhar para Deus Pai que nos deu o seu único Filho porque nos ama.

Em nome de Jesus eu profetizo sobre a sua vida hoje uma vida nova. Mas é preciso reagir, façamos a nossa parte. Queremos que Deus faça, mas é preciso que façamos a nossa parte, viver a esperança, a alegria e voltarmos a profetizar. As armas da nossa batalha é a oração, a Palavra de Deus, a Virgem Maria, a confissão e a Eucaristia. Com certeza estas armas nos darão a vitória. Por maior que seja o seu problema Deus é muito maior, basta que você viva esta esperança com determinação. Vamos a luta! Viver estas práticas de oração diária. Assuma a Palavra de Deus e tenha esperança.

Categoria : formações


  • 0

Deus nos consola na perda de um ente querido

Muitas vezes, nós nos questionamos: “Por que eu tive de perder essa pessoa? Por que ela morreu se ela era tão boa?”. E ficamos em busca de que a Palavra de Deus nos dê a resposta para nossas dúvidas. Que a Palavra de hoje seja para lhe responder e curar sua dor.
cemiterioA saudade é sempre boa, pois só sentimos falta do que é bom. Quando você sente saudade da pessoa que partiu é porque você tem lembranças boas dela. Mas existe uma dor pela falta daqueles que partiram que não nos ajuda em nada.
A Espírito Santo pega a nossa saudade e a transforma em algo bom, em esperança de que iremos encontrar novamente a pessoa que amamos.
Por que as pessoas boas sofrem? Por que elas morrem tão cedo? Usamos muito a expressão “vaso ruim não quebra facilmente”. Muitas vezes, aquela pessoa que é tão preciosa para nós morre cedo. Quem ama sente falta e se pergunta por que ela teve de ir embora tão cedo. A Palavra de Deus responde: 7. “O justo, porém, ainda que morra prematuramente, encontrará descanso”.
Uma vida vivida longe de Deus é uma vida infeliz; ao passo que, uma pessoa que viveu o amor de Deus, que viveu para o bem, quando morre todos dizem que ela era uma pessoa de bem.
Mas você pode dizer que está longe de ser uma pessoa justa, mas você é uma pessoa de Deus, sempre estaremos a caminho da santidade. A morte de uma pessoa boa é um “alívio”, e apesar de ser uma morte, ela traz paz e consolo ao nosso coração. 8. “A velhice venerável não é a de uma longa duração e nem se mede pelo número de anos”; mas se mede pelo bom senso, pelo modo como a pessoa viveu. Muitas vezes, vemos jovens chefiando pessoas mais velhas, porque eles são sensatos: 9. “o bom senso equivale aos cabelos brancos, uma vida sem mancha, à idade avançada”.
10 “Agradando a Deus, o justo é amado por ele; vivendo entre pecadores, Deus o transferiu para outro lugar”. Há pessoas que têm medo dessa passagem bíblica e acham que, se forem muito boas, Deus logo vai transferi-las para outro lugar. Mas a verdade é que o Senhor zela pela vida de quem é bom. O Senhor não deixa que seu santo se perca; e quem sabe a melhor hora de partirmos é Ele.

Quantos anos nós vamos viver? Você já parou para pensar quantos anos você ainda tem pela frente? Temos que nos perguntar quantos anos ainda nos restam nesta vida, e se vale a pena por esses poucos anos perder a vida eterna. Temos que dizer, como Domingos Sávio: “Antes morrer do que pecar!”, pois a morte mata o corpo, mas o pecado mata a alma.
11“Foi arrebatado para que a malícia não lhe pervertesse a inteligência, nem o engano seduzisse sua alma”. Quantos altos e baixos você já viveu dentro e fora da Igreja? As companhias nos influenciam: “más companhias corrompem os bons costumes”, se você anda com má companhia, daqui a pouco você estará fazendo igual a ela.
12 “Pois o fascínio da frivolidade obscurece os valores verdadeiros, e a inconstância das paixões transtorna a mente sem malícia”. A paixão incendeia e passa, mas a inconstância das paixões transtorna, por isso Deus cuida dos seus: 13. “Tendo alcançado em pouco tempo a perfeição, completou uma longa carreira:” 14. “sua alma era agradável ao Senhor, que por isso apressou-se em tirá-lo do meio da maldade”. Se você tivesse um filho amado e soubesse que, em uns poucos anos, ele perderia a vida eterna, você iria querer esses poucos anos para ele? Mesmo sofrendo agora, você ia querer isso? Deus não recolhe uma pessoa para sua desgraça, o único objetivo do Senhor é nos salvar, Ele quer a nossa felicidade, a felicidade eterna. A Providência Divina nos dirige em tudo para nossa felicidade, tudo coopera para o nosso bem. Você ama a pessoa que partiu? Deus a ama muito mais!
As pessoas não refletem em seu coração 15. “que a graça e a misericórdia são para os eleitos do Senhor, e que ele intervém em favor dos seus santos”. Deus ama tudo aquilo que Ele criou, se Ele não gostasse de você, você não existiria. Se o Senhor não o amasse, você não subsistiria.

16.“Mas o justo, morto, condena os ímpios vivos; e a juventude, cedo terminada, a prolongada velhice do injusto”. Ninguém chega à santidade sem ser detestado por muitos, há sempre alguém para fazer uma fofoca e para maliciar a vida dessa pessoa, mas quando ela falece os frutos aparecem.

Uma vida vivida longe de Deus é uma vida infeliz

Você poderá glorificar a Deus pelos frutos que seu ente querido deixou. Console o seu coração, pois a pessoa que você ama está com Deus, e a sua vida é um descanso agora, porque tudo que era mau passou.
Alegre-se por quem você perdeu, não porque essa pessoa não faça falta nem porque não sinta saudade dela, mas porque ela está junto do Pai.

Márcio Mendes

Categoria : formações


  • 0

Falece Carmen Hernández

Falece Carmen Hernández, iniciadora do Caminho Neocatecumenal

Faleceu no dia 19 julho de 2016, Carmen Hernández, iniciadora do Caminho Neocatecumenal com Kiko Argüello, faleceu em sua casa em Madrid, Espanha, aos 85 anos.

CarmenHernandezHernández, nascida em 24 de novembro de 1930 na localidade de Ólvega, em Soria (Espanha), formava com Kiko Argüello e Pe. Mario Pezzi a equipe internacional responsável por esse importante movimento eclesial.

Seu estado de saúde havia se deteriorado consideravelmente no último ano e meio, sem que lhe fosse diagnosticada nenhuma doença específica.

Sobre a morte de Carmen Hernández, Kiko Argüello afirma em um comunicado: “Tenho a alma dolorida, porque já não está conosco. Mas, a fé me ajuda e me afirma que está com Cristo. Rezem por ela”.

“Para mim, foi comovedor que (Carmen) tenha esperado que eu chegasse, beijasse-a e lhe dissesse ‘Ânimo’. E depois de lhe dar um beijinho, faleceu”, relata.

A última vez que Carmen foi vista em público foi em 18 de março, na audiência que o Papa Francisco concedeu às famílias missionárias do Caminho Neocatecumenal.

O Santo Padre falou com ela por telefone em 1º de julho, durante uma audiência com Kiko Argüello e Pe. Mario Pezzi.

O funeral de Carmen Hernández será realizado na Catedral de Almudena, em Madri.

Categoria : notícias


  • 0

Superar o luto requer tempo

Sufocar a tristeza e as lágrimas pode ser prejudicial, dê tempo ao luto, pois pode demorar semanas, meses, até mesmo anos

A dor de perder um ente querido é singular. Toda pessoa tem o direito de chorar essa perda o quanto desejar, pois somente ela sabe a dor que passa em seu coração. Em muitos momentos de perda, sempre encontramos os “psicólogos de plantão”, os quais, com suas frases pré-fabricadas, não colaboram em nada com quem está sofrendo a separação. Muitos dizem: “Foi a vontade de Deus”, ou “Ele quis assim!” ou ainda “Foi melhor para ele”. Essas frases pobres e sem fundamento não ajudam em nada; pelo contrário, desfiguram o rosto amoroso do Senhor.

Deus não deseja que o ser humano sofra. O sofrimento é uma condição humana, não um desejo divino. O Senhor é amor, e tudo o que desqualifica o amor de Deus é um jeito impróprio de compreendermos a vida e os seus desdobramentos.

Muitos surgem com frases extremamente “formatadas”, afirmando: “Não chore!”. Como não chorar diante da dor da separação de alguém que nos deixou? Temos, sim, o direito de chorar o quanto quisermos e pelo tempo que desejarmos.

Sufocar a tristeza e as lágrimas pode ser prejudicial

Contudo, o luto é um processo e precisa ser elaborado aos poucos. Sufocar a tristeza e as lágrimas pode ser prejudicial. Dê tempo ao luto, pois pode demorar semanas, meses, até mesmo anos. Durante esse tempo, é normal que você sinta raiva, chore, se revolte e até mesmo questione Deus. É preciso viver esse “outono” para que um novo tempo comece a surgir lentamente, anunciando novas esperanças.

Muitos querem ficar sozinhos, outros preferem partilhar sua dor com algumas pessoas. Tudo isso ajuda a elaborar o processo do luto na vida. Outros ainda buscarão forças na oração.

Sentimentos de culpa

Durante esse processo, muitos questionamentos podem surgir: Por que ofendi tal pessoa naquele dia? Por que não a abracei mais? Por que não lhe disse que a amava? O que não fiz que deveria ter feito? Muitos outros questionamentos poderão surgir. Não os sufoque, mas também não se prenda a eles. Carregue em seu coração a certeza de que Deus, em Seu amor, acolheu seu ente querido.

Alguns rituais podem nos ajudar a superar para viver o processo do luto. Se desejar poderá escrever em uma folha os bons momentos que juntos viveram e também escrever as dores da saudade. Poderá ainda acender uma vela e fazer uma oração ao ente querido. Se sentir necessidade de partilhar com um amigo próximo a dor que sente em seu coração, não fique com medo. Fale, partilhe, desabafe. Nesse momento, é normal que as lágrimas venham. Deixe-as cumprir o papel de desabafo e saudades.

No luto sentimos um vazio enorme

O coração sente que falta algo, um espaço foi aberto. A saudade dói, mas não tenha medo de sorrir novamente, de contemplar as flores, de amar e se sentir amado pelos amigos e familiares. Permita-se recomeçar. A saudade ficará, as lágrimas voltarão, pois o amor que você sente pela pessoa que se foi nunca se apagará. Este amor que você sente lhe dará forças para continuar sua vida e cuidar daqueles que também precisam do seu carinho, do seu abraço e da sua ternura.

Recomendo a leitura do livro “A cura dos traumas da morte” do Pe Leo. Ele nos convida a refletir sobre esse assunto hoje tão mascarado pela maioria das pessoas e ver com outros olhos a realidade da morte, pois será ela que nos levará a presença de Deus. Sem ignorar a tristeza que a falta de nossos entes queridos nos causa, o autor ensina a enfrentar com maturidade e fé essas horas tão difíceis – doença, enterro, luto, despedidas- ao mesmo tempo em que nos exorta a valorizar a vida e a presença dos que amamos. Enquanto ainda é tempo.

 

Categoria : formações


Cadastre o seu email